Banalization of Evil

by Simbiose

/
1.
Não, não tens que gostar, muito menos tens que acreditar É a tua maneira de sentir, é a tua maneira de viver Só a ti te diz respeito, só a ti , porque tens esse direito! Não tens que acreditar, não tens que aceitar Intolerante á intolerância, intolerante á intolerância, Intolerante á intolerância, intolerante á intolerância, Não, não tem niguém que decidir, muito menos pode obrigar, O teu sentimento no agir, o teu pensamento no acreditar. Só a ti te diz respeito, só a ti , porque tens esse direito! Não tens que acreditar, não tens que aceitar Intolerante á intolorância, intolerante á intolorância, Intolerante á intolorância, intolerante á intolorância, Vai, chegou a tua hora, o que nunca fizeste , vais fazer agora! Corre,corre,corre apanha este comboio ele vai partir, vai partir mesmo agora! Vai chegou a tua hora, vai chegou a tua hora! Só a ti te diz respeito, só a ti , porque tens esse direito! Não tens que acreditar, não tens que aceitar Intolerante á intolerância, intolerante á intolerância, Intolerante á intolerância, intolerante á intolerância,
2.
02 Reuse 03:26
Plastic Bags Plastic rags One Million produced Every minute Average use Of twelve minutes Impacting the earth For Million Years Stop and take time Reuse or decline Just bring your own Have some peace of mind Eight million tons Of plastic waste End up in the ocean Every year Specialist predict Some years from now There´s more plastic Than fish on the water Stop and take time Reuse or decline Just bring your own Have some peace of mind
3.
This is the sign of times Media makes us numb Immune to the feelings Banalization through replication Banalization of evil Normalization of violence Desensitized to evil Evil´s not evil anymore A live stream on TV A shoot ´em up on PC What´s abnormal becomes normal What is wrong becomes right Click to change the channel Sleep and embrace the night Banalization of evil Normalization of violence Desensitized to evil Evil´s not evil anymore A live stream on TV A shoot ‘em up on PC Overexposed, we´ve been made Less likely to feel shock No pain and no distress Facing cruelty and death Desensitized to evil Evil´s not evil anymore A live stream on TV A shoot ‘em up on PC
4.
04 É a Vida 03:16
Alegrias e vitorias, derrotas e depressões Batalhas vencidas , enfrentadando batalhões Decisões mal tomadas , outras bem acertadas Sentimentos defenidos , ativam certos perigos É isto que levamos da vida, tentamos arranjar alternativas Acredita que passa a correr, vive agora o que tens a viver Alegria em vencer, dár o braço a trocer Fazer parte a humildade, saber tambem perder Ouvir para ser ouvido, aceitar opiniões Não ser dono da razão, ao tomar as decisões É isto que levamos da vida, tentamos arranjar alternativas Acredita que passa a correr, vive agora o que tens a viver.
5.
A vida é traiçoeira, á voltas que não estamos á espera, A vida é matreira, Pois acordei e já não te vi Vida traçoeira, vida A nossa amizade não é uma merda qualquer A nossa amizade não acaba quando a morte o quiser A nossa amizade não é uma merda qualquer A nossa amizade não acaba quando a morte o quiser Deixou ires tao cedo e nao te quis aqui, Tanto ficou por fazer, Tanto, que nem consigo imaginar Vida traçoeira, vida A nossa amizade não é uma merda qualquer A nossa amizade não acaba quando a morte o quiser A nossa amizade não é uma merda qualquer A nossa amizade não acaba quando a morte o quiser A vida é traicoeira Mas agora já nao há volta a dar A vida é matreira Nao avisa o dia de acabar A nossa amizade não é uma merda qualquer A nossa amizade não acaba quando a morte o quiser A nossa amizade não é uma merda qualquer A nossa amizade não acaba quando a morte o quiser
6.
Sociedade infectada, Onde depositamos a nossa vida, Estamos nas mãos de estranhos, E não temos nenhuma saida. Somos números ocasionais, governados por leis banais Mundo corrumpido, É o salve-se quem puder! A tua opinião está interdita, Só entra quem ele quer. Somos números ocasionais, governados por leis banais
7.
These are the times, for standing in line To kill or be killed, the sign of times Another bomb, another strike Modern warfare, modern fight War at your door, war at your sight Not far away, it’s already here The serpents head, spreads everywhere Last days of peace, the last days in hell The age of glorious deaths Feed the glorious path War at your sight, prepare to fight These are the times, for standing in line To kill or be killed, the sign of times Another bomb, another strike Modern warfare, modern fight War at your door, war at your sight Not far away, it’s already here The serpents head, spreads everywhere Last days of peace, the last days in hell The age of glorious deaths Feed the glorious path War at your sight, prepare to fight
8.
Pela calada da noite, ouvem-se gritos de medo Vindos do mediterrâneo, é africa em desespero Seres humanos que lutam por sobrevivência Deixam tudo para traz á espera de independência Dá que pensar se tens de imigrar Dá que falar se não há que comer (Sem) rumo, á deriva, o que vai acontecer? Vêm fugidos da guerra, que a europa ajudou a fazer Seres humanos que lutam por sobrevivência, Deixam tudo para traz á espera de independência. Dá que pensar se tens de imigrar, Dá que falar se não há que comer
9.
Desde que nascemos – infectados Regras da sociedade – infectadas Aceitar o que nos dão – apatia Trabalhar para sobreviver - carneirada Tenta ser tu, pensa por ti,levanta a cabeça, luta até ao fim! Não tens que viver assim... Dar a nossa opinião – conquista Respeitar para ser respeitado – vida Querer fazer e não conseguir – frustação Acreditar no que fazemos - revolução Tenta ser tu, pensa por ti,levanta a cabeça, luta até ao fim! Não tens que viver assim...
10.
Ódio, ódio que mata sem preocupação Medo, medo de vencer e superar a razão Sangue, sangue que escorre á espera de emoção Morte, morte que veio e não teve perdão Onde estás, nesta barricada? Medo tens? Não fazes nada? Ódio, ódio que mata sem preocupação Medo, medo de vencer e superar a razão Sangue, sangue que escorre á espera de emoção Morte, morte que veio e não teve perdão Onde estás, nesta barricada? Medo tens? Não fazes nada? Onde estás, nesta barricada Medo tens? Não fazes nada? Medo-medo de mudar -tu tens medo, medo de mudar Onde estás, nesta barricada? Medo tens? Não fazes nada? Onde estás, nesta barricada Medo tens? Não fazes nada?
11.
11 Realidade 02:39
Regras impostas pela sociedade, visão turva da realidade, obrigam a seguir a manada, mesmo que esteja errada Mais uma vitima, mais uma lei, vais ter que seguir, não importa se está bem! Entretenimento para estar ocupado, nem vês o que está errado amarrado para não questionar, nem vale a pena tentar falar Mais uma vitima, mais uma lei, vais ter que seguir, não importa se está bem! Dedo no gatilho, alvo conhecido, segue o teu caminho e contorna estas leis! Democracia, Hipocrisia, Violação, Condenação Mais uma vitima, mais uma lei, vais ter que seguir, não importa se está bem! Dedo no gatilho, alvo conhecido, segue o teu caminho e contorna estas leis!
12.
There is a feeling inside One that I can’t describe And it’s burning my mind Piercing my chest, losing my strength Animal instincts resurface You had them buried inside Are we blind? Stop the violence, get out of my mind There are things that you do You think they are justified Your behaviour Your satisfaction, our violation Animalistic behaviour You don´t hide Animalistic behaviour You don’t try to control Violent Minds You search for gratification Animal instincts arise Satisfy! Can´t control your basic urges Violent annihilation Suffocating my brain Gasping for air Struggling to reach the surface This is the state of mankind Lunacy, violent crimes Our demise Is this the end of the world? Animalistic behaviour You don´t hide Animalistic behaviour You don’t try to control Violent Minds There is a feeling inside One that I can’t describe And it’s burning my mind Piercing my chest, losing my strength Animal instincts resurface You had them buried inside Are we blind? Stop the violence, get out of my mind There are things that you do You think they are justified Your behaviour Your satisfaction, our violation Animalistic behaviour You don´t hide Animalistic behaviour You don’t try to control Violent Minds

credits

released October 1, 2019

license

all rights reserved

tags

about

Simbiose Lisbon, Portugal

contact / help

Contact Simbiose

Streaming and
Download help

Report this album or account

If you like Simbiose, you may also like: